Alternativa para o setor naval

estaleiro-mauC3A1-165096-165096
Alternativa para o setor naval

Segundo o estaleiro Mauá, objetivo da iniciativa é beneficiar os clientes oferecendo vários serviços em um só lugar

Para tentar driblar a crise no setor naval, estaleiros de Niterói estão recorrendo à prestação de outros serviços, além da montagem e reparos de embarcações. A armazenagem de mercadorias foi uma alternativa encontrada pelo Estaleiro Mauá, localizado na Ponta da Areia, que publicou ontem o pedido de liberação ao Governo do Estado para que comece a operar como um armazém geral de mercadorias.

Desde 2015, quando encerrou o serviço de construção de grandes embarcações por questões financeiras, o Estaleiro Mauá opera no reparo naval, além de funcionar como terminal portuário. Para poder atuar na nova função, a unidade aguarda ainda a licença de autorização da Junta Comercial do Estado do Rio de Janeiro (Jucerj).

“Estamos no processo de regularização desde março deste ano. Estudamos as vantagens de se ter um armazém geral e vimos que seria interessante termos mais essa unidade de negócios no Estaleiro Mauá. No meio da crise no setor, estamos buscando soluções que beneficiem nossos próprios clientes, unindo vários serviços em um só. Assim, otimiza-se tempo e custo”, explicou a administração do Estaleiro Mauá.

Alternativa – O serviço de armazenagem de mercadorias também foi a solução encontrada pelo Estaleiro Brasa, localizado na Ilha da Conceição, que obteve a liberação para exercer a atividade há cerca de um ano.

Esperança – Outra esperança para o setor naval niteroiense é a dragagem do Canal de São Lourenço. O processo licitatório para realização do estudo de impacto ambiental das intervenções está em andamento e deverá ser concluído em outubro, após o cumprimento dos trâmites legais. Só após o estudo, o Governo Federal, responsável pela obra, poderá ter liberada a licença prévia do Inea. 

Fonte: http://www.ofluminense.com.br