Barcas paradas, reajuste e calor dentro das embarcações

Barcas paradas, reajuste e calor dentro das embarcações

Apesar do calor, barcas com ar-condicionado não são utilizadas no trajeto Rio-Niterói.

Após o anúncio de um reajuste de 3,38% no preço da passagem das barcas que circulam na Baía de Guanabara, cuja tarifa social, a partir do próximo dia 12 de fevereiro, terá seu valor elevado de R$ 5,90 para R$ 6,10, passageiros que utilizam diariamente o transporte, entre as estações Praça Arariboia e Praça XV, denunciam a precariedade no serviço, principalmente em relação à climatização das embarcações. Em pleno verão, cariocas e niteroienses enfrentam viagens, quase sempre, em barcas sem ar-condicionado. Eles alegam que as barcas novas e refrigeradas, adquiridas nos últimos anos, praticamente não são utilizadas.

Na tarde desta quinta-feira (25), por volta de 15h, quando os termômetros no Centro de Niterói apontavam 36 graus, a professora Tânia Calixto saía da estação Arariboia em direção à capital, como faz diariamente, através da embarcação “Gávea I”, utilizada no serviço desde 2006.

“Eu estou tendo a sorte de ir em uma barca com ar. Mas é uma barca muito velha, o ar quase não dá vazão, eu já conheço. Com esse calor, acho que viajar desse jeito é até pior, porque a gente fica sofrendo com aquelas janelas fechadas, ainda mais sem refrigeração adequada. O mais impressionante é que quase não percebo o uso das barcas novas. Parece que ficam atracadas o dia todo”, reclamou a moradora do bairro do Ingá, de 36 anos, se referindo às embarcações “Pão de Açúcar”, “Corcovado” e “Itacoatiara”, adquiridas em 2014, 2015 e 2016, respectivamente.

Ainda nesta quinta, por volta de 15h15, quando a embarcação “Neves V” – que opera no serviço desde 2008 – voltava da Praça XV para o Centro de Niterói, o advogado Valdir Morais, de 72 anos, sofria dentro do coletivo sem ar-condicionado. Apesar de ter direito à gratuidade, lamenta o reajuste decretado.

“Faço esse vai e vem três vezes por semana, e afirmo que é um milagre pegar uma barca com ar-condicionado. É muito calor, ainda mais no meu caso, que ando de terno por conta da profissão. Eu tenho pena de quem paga passagem”, disse o idoso morador de Araruama, que tem o costume de deixar seu carro em Niterói para cruzar a Baía de barca até o seu escritório no Centro do Rio.

Nos dias úteis, a CCR Barcas, concessionária que administra o serviço aquaviário, disponibiliza 31 viagens no sentido Arariboia x Praça XV e 28 no trajeto inverso diariamente, entre 5h40 e 23h30. 

Procurada, a CCR Barcas não respondeu .

Fonte: http://www.ofluminense.com.br