Campanha estimula doação para bancos de leite

Campanha estimula doação para bancos de leite

O Governo do Rio realiza campanha para aumentar os estoques dos bancos de leite. A Baixada Fluminense conta com as duas unidades administradas pelo Estado: no Hospital da Mulher Heloneida Studart (HMulher), em São João de Meriti, e no Hospital Adão Pereira Nunes, em Duque de Caxias. As doações beneficiam muitos bebês, especialmente aqueles internados em UTIs neonatais, que se recuperam mais rapidamente.

“Existem mulheres que pensam que se doar o leite, faltará para o seu bebê. Isso é um mito. Ela vai doar o que está sobrando. Primeiro, seu bebê mama; depois, ela faz a ordenha para a doação. E quanto mais a mama é esvaziada, maior é a possibilidade de produção, porque o organismo será estimulado a produzir mais”, disse Philippe Godefroy, responsável pelo Banco de Leite do Hospital da Mulher.

Outra ideia que atrapalha o processo é que muitas mulheres imaginam que é preciso ir aos postos de coleta a cada doação. A lactante só deve comparecer ao banco na primeira vez, para se cadastrar, fazer exames e pegar os frascos para acondicionar o leite.

“Ela vai coletar o leite em casa, quantas vezes por dia quiser, e vai congelá-lo. A cada dez dias, em um horário agendado, uma equipe coletará os frascos e novas embalagens serão entregues à doadora”, afirmou o médico.

Cada bebê em UTI neonatal, o principal favorecido pelo banco, consome entre 10 ml e 30 ml por vez. Ou seja, a cada 100 ml doados até dez crianças podem ser ajudadas. Além de oferecer todos os nutrientes que o recém-nascido precisa, o leite materno reduz em até 20% a mortalidade nos primeiros meses de vida.

Fonte: http://www.ofluminense.com.br