Concurso da Prefeitura de Niterói será realizado pela FGV

Concurso da Prefeitura de Niterói será realizado pela FGV

A Prefeitura de Niterói definiu a Fundação Getúlio Vargas (FGV) como banca organizadora do concurso para contratação de Auditor Municipal de Controle Interno e Analista de Políticas Públicas e Gestão Governamental. A previsão é de que o edital seja lançado nos primeiros dias de janeiro e que as provas sejam realizadas na primeira quinzena de março. Serão disponibilizadas vinte vagas para analista e dez para auditor e os dois cargos terão salário inicial de R$ 5,5 mil. Os aprovados irão atuar na Controladoria Geral do Município (CGM) e na Secretaria Municipal de Planejamento, Modernização da Gestão e Controle (Seplag).

Nesta terça-feira, a secretária de Planejamento, Giovanna Victer, e a controladora-geral, Cristiane Mara Rodrigues Marcelino, estiveram na sede da instituição, no Rio de Janeiro, onde reuniram-se com representantes da banca organizadora para discutir os critérios de elaboração do edital.

“Este será um concurso complexo, com etapas de provas objetivas e discursivas e também com curso de formação que tem como objetivo selecionar os melhores candidatos para integrar a gestão pública municipal”, declarou a secretária Giovanna Victer.

Ela frisa que a Fundação Getúlio Vargas é uma banca organizadora com muita experiência, sendo responsável pela elaboração do Exame de Ordem da OAB e diversos certames para tribunais.

A FGV é conhecida por não ter um modelo padrão, podendo haver diferenças em suas provas de acordo com o órgão solicitante do concurso.
Para o cargo de analistas de políticas públicas poderão concorrer profissionais com Ensino Superior em qualquer área de formação. Já para auditor de controle interno serão priorizados bacharéis em Direito e Ciências Contábeis.

A criação da CGM faz parte do Programa Niterói Mais Resiliente, estruturado desde novembro do ano passado, ele objetiva a profissionalização, modernização e transparência da gestão pública de Niterói, induzindo o desenvolvimento local e gerando uma maior capacidade de resiliência em casos de possíveis ajustes nas contas públicas.

Fonte: http://www.ofluminense.com.br