Convivência consciente na praia

s1fc-5-162481
Convivência consciente na praia

Ao lado da secretária de Conservação e Serviços Públicos, Dayse Monassa, quiosqueiros exibem placas informativas

Quiosqueiros da praia de Piratininga, na Região Oceânica de Niterói, estão em campanha de conscientização sobre a presença consciente dos banhistas na orla niteroiense. Em parceria com a associação Piratininga Unida Moradores + Amigos (Puma), o grupo vem instalando nos acessos às areias placas com mensagens de informações sobre a importância de preservação da praia. A iniciativa se divide entre uma lona fixada atrás dos quiosques, e uma placa que ainda antes de carnaval será colocada nos acessos à areia.  

As placas e a lona estampam informações sobre as leis municipais que dispõem sobre a convivência nas praias. Presidente da Piratininga Unida Moradores + Amigos (Puma), André Pimenta contou que a iniciativa tenta fazer com que banhistas evitem, por exemplo, deixar  nas areias o lixo que produzem durante sua passagem pela região. “A praia é pública, e não privada. Infelizmente tem gente que esquece isso. Existe muita falta de educação de alguns frequentadores, o lixo que está lá não brota da areia. Já basta o que chega pelo mar. Temos uma grande preocupação ambiental com a praia, e acreditamos que se o banhista chegar ao local e se deparar com as placas, vai ter uma sensibilização”, defendeu.

Calçadão: informações

Presidente da Associação de Quiosqueiros da Região Oceânica e vice-presidente da Puma, Jorge Luiz Ferreira explicou que a ideia é impactar o banhista logo em sua chegada ao calçadão de Piratininga. Ele ainda lembrou que a orla recebe muitos frequentadores que não são de Niterói e, por vezes, não conhecem as leis da cidade.- “Resolvemos colocar informações para o banhista chegar na praia já conhecendo as leis municipais. Como temos um grande público de outros municípios, achamos que seria interessante. Se quem é daqui muitas vezes não conhece, imagine quem vem de fora. Não podíamos ficar esperando o poder público porque tínhamos urgência para esse verão. A praia é nosso ganha-pão”, pontuou.

Orla Legal – Quem frequenta as praias da Região Oceânica sabe que é fácil encontrar, principalmente nos fins de semana, veículos que trazem turistas para a orla niteroiense. De acordo com a Niterói Empresa de Lazer e Turismo (Neltur), a Praia de Piratininga é, seguida da Praia de Itaipu, a que mais recebe veículos de excursão. Para organizar a entrada de ônibus de excursão às praias, o órgão conta com o projeto “Orla Legal”, que cobra entre R$ 600 e R$ 150 desses veículos.    Segundo a Neltur, mesmo com a temporada de intenso calo, não houve aumento significativo na chegada desses veículos à orla. Para fiscalização, há uma equipe que circula nas praias, mas “o pessoal de van é mais complicado, pois procuram se esconder da fiscalização ou sair sem serem percebidos”. 

Praça Allan Kardec tem plantio de mudas 

Cerca de 30 pessoas participaram, nesta sexta-feira (17), do plantio de quase 60 mudas de plantas na Praça Allan Kardec, em Piratininga, na Região Oceânica de Niterói. A iniciativa é uma parceria entre instituições privadas e a Prefeitura de Niterói. Como o evento usa a orla niteroiense para fins comerciais durante os fins de semana, três empresas fizeram o plantio como contra-partida. Ao todo, foram 50 pitangueiras, além de alguns ipês-brancos e chichás – árvore nativa do Brasil originária da Mata Atlântica.  O aposentado Roberto Guimarães, 64 anos, é morador de Camboinhas e, apaixonado pela ideia de ampliar as áreas verdes na cidade, ele participou de mudas e ainda levou seis mudas de plantas.  “Trouxe cinco ipês brancos e um chichá. Vi aqui a oportunidade de colaborar com essa iniciativa de colocar o verde na praia de Piratininga. Niterói tem um céu maravilhoso, umas montanhas lindas, duas lagos sensacionais, praias belíssimas. O que falta é o verde. Não há nada melhor do que deixar para o futuro esse verde. Me sinto muito feliz estar participando como morador”, comentou. 

Cuidados – A secretária de Conservação e Serviços Públicos, Dayse Monassa, explicou que a iniciativa de plantio está ligada ao evento que vem, com aval da Prefeitura, sendo realizado na Praia de Piratininga há mais de um mês. Ele garantiu, ainda, que após o plantio, as mudas vão passar por cuidados de manutenção. “A solicitação de contra-partida é que fosse sempre ambientalmente correto, e pedimos que a praça fosse adotada a nível de plantio e manutenção. Foi colocado um ponto de água, um vigia de manhã vai molhar as mudas. Não basta só plantar, são necessários cuidados para garantir que as plantas vão sobreviver. A praça é do morador, da cidade. Essa integração do morador se apropriar da cidade é o que a gente quer”, disse. 

Renovação – Administrador Regional da Região Oceânica, Carlos Roberto Boechat contou que espera passar futuramente pelo local e encontrar as árvores crescidas.  “A praça Allan Kardec tem que ter é isso: cuidado ambiental. Ela tem o diferencial de ficar no meio da Praia de Piratininga, ser enorme, e ter uma visão para a população. É uma parceria para trazermos para cá uma renovação ambiental em área que estava degradada por não ter tratamento. Daqui uns passaremos pela praça e pensaremos que fizemos parte disso”, finalizou Boechat. 

Fonte: http://www.ofluminense.com.br