Dando vida e utilidade a uma dependência que caiu em desuso

d1fi-habitaC3A7C3A3o_9-163807
Dando vida e utilidade a uma dependência que caiu em desuso

Transformar o velho quarto de empregada em closet tem sido uma alternativa para aumentar espaços e valorizar os imóveis

A dependência de empregada foi um espaço importante em muitas residências até alguns anos atrás. Até um passado bem recente, muitas famílias costumavam com uma funcionária doméstica que dormia no serviço. Mas hoje a realidade é outra. Novas dinâmicas profissionais e o custo de vida fizeram com que ter um colaborador dormindo no trabalho se tornasse algo cada vez mais raro. Hoje a grande maioria opta por contratar diaristas. Por isso, proprietários dos imóveis com dependência passaram a buscar novas finalidades para esses cômodos. Soluções que vão desde um novo banheiro até a construção de um charmoso local para trabalhar estão entre as principais modificações. E para não errar nesse projeto, especialistas explicam como planejar a melhor forma de aproveitamento desse espaço. 

Ambientes pequenos, de modo geral, necessitam de uma boa avaliação, tanto do imóvel quanto das expectativas dos moradores, para um melhor uso do espaço, ensina o arquiteto Philippe Nunes.“É importante levar em consideração se aquele cômodo pode ser totalmente mudado, ou se precisa ser misto. A partir daí, cabe ao arquiteto saber se é ou não possível abrir paredes para ampliá-lo.Existem muitas opções para uso das dependências de empregada, como por exemplo, home office, ateliê, despensa, adega ou closet. Entre os fatores mais limitantes para projetar este local estão o tamanho e a localização dele dentro do imóvel”, afirma Nunes. 

Converter em quarto de empregadas passa pelo tamanho do cômodo e a demanda de uso que o imóvel tem. pensar no conforto, como iluminação adequada, se tem janela, ventilação, fatores que segundo o arquiteto podem limitar o local quanto a ser ou não um espaço de permanência, segundo Nunes. Demandas por adaptações são mais comuns do que se imagina, segundo ele, lembrando que, como os imóveis mais novos estão vindo sem dependência essas requalificações de ambientes já começar a acontecer em outros espaços da casa, principalmente a varanda. “Embora na prática todo quarto de empregada devesse ser pensado dessa forma a gente sabe que isso não corresponde a realidade. No meu caso a demanda maior é para home-office. a gente vive em um mundo onde cada vez mais o trabalho em casa é uma necessidade. Por isso esse precisa ser um espaço onde a pessoa possa se isolar um pouco da família para poder trabalhar. Empreendedores também necessitam, além de escritórios, oficinas ou estúdios, e ainda, complementos para cozinha no caso de quem atua com gastronomia”, completa o arquiteto. 

Como hoje em dia é cada vez mais raro empregadas que dormem no trabalho, a solicitação de projetos para repaginar a dependência é comum, principalmente integrando esse espaço ao resto da residência, criando assim novos ambientes, explica a arquiteta Aline Ferreira. “Áreas de convivência social são as mais solicitadas. Mas vale lembrar que esse tipo de projeto tem que ser muito bem estudado para que haja uma otimização de cada centímetro e requer um cuidado especial com a questão de canos e dutos antigos dos prédios, para não ter surpresas. O mesmo se aplica à parte elétrica”, ressalta Ferreira.

No projeto em que a dependência se transformou em um banheiro, a intenção era atender a necessidade de maior conforto e privacidade de uma família com dois filhos adolescentes em um apartamento com apenas um banheiro, explica a arquiteta.” No escritório em que atuo temos um projeto que chamamos de ‘um por vez’ que é justamente para realização de reformas de cada cômodo ao invés de na casa toda, e foi assim que trabalhamos nesse caso. Construindo mais um banheiro social avançou inclusive em parte da área de serviço, que precisou ser otimizada. O que garantiu mais privacidade e até mais liberdade para essa família receber outras pessoas em casa”, destaca Aline. 

O metro quadrado em bairros como Icaraí são muito caros hoje em dia para se ter algum espaço dentro de casa que não seja utilizado. Por isso, segundo a arquiteta Martha Porto, essa é uma reforma que deve sempre estar voltada para atender uma necessidade dos moradores. Mas a satisfação geralmente é muito grande quando as dependências são repaginadas. Isso porque, de acordo com ela, essa mudança está sempre atrelada a um fator surpresa, uma vez que as pessoas nunca imaginam esse espaço pode se tornar tão interessante. 

Fonte: http://www.ofluminense.com.br