EcoBuffet realiza oficinas com ‘chefs’ para aperfeiçoamento

Primeira oficina do Projeto EcoBuffet foi realizada nesta semana. Foto: Divulgação/Palácio Guanabara
EcoBuffet realiza oficinas com ‘chefs’ para aperfeiçoamento

Primeira oficina do projeto foi realizada nesta semana. O workshop contou com a participação do chef Bruno Magalhães, do Botero Bar – sucesso no ‘Comida di Boteco’

O projeto EcoBuffet realiza, no próximo dia 23 de setembro, oficina com chefe de cozinha Thiago Flores, do restaurante Paris, da Casa Julieta de Serpa, e com o fotógrafo especializado em Gastronomia, Berg Silva.

Além das dicas de culinária, os alunos vão aprender a preparar pratos saborosos e belos. A apresentação das criações culinárias e a importância de sua divulgação em cardápios e na mídia serão alguns dos temas abordados. 

A primeira oficina do projeto foi realizada nesta semana. O workshop contou com a participação do chef Bruno Magalhães, do Botero Bar – sucesso no último festival Comida di Boteco –, e do gourmet Jimmy McManis. A dupla de profissionais orientou os alunos, dos turnos da manhã e tarde a preparar conservas com cascas de legumes e a reaproveitar aparas de carne para fazer hambúrgueres. Além das dicas culinárias, eles contaram um pouco sobre suas carreiras e experiências de gestão de restaurantes. “Achei interessante a proposta da oficina porque grande parte da mão-de-obra dos restaurantes vem de comunidade. É este pessoal que faz girar este mercado, por isso que retribuir é muito importante. Queremos formar da melhor maneira estas pessoas”, disse Bruno Magalhães.

Para Jimmy McManis, que foi gerente do Hard Rock Café em Nova York e ao voltar para o Brasil montou uma empresa de criações culinárias, mostrar aos alunos um pouco de sua experiência será importante para incentivá-los a abrirem seus próprios negócios. “Sempre digo que conhecimento não ocupa espaço. Vejo-me apenas como uma pessoa com mais horas de ‘vôo’ do que estes alunos. A ideia é tentar passar nossas experiências. Eu e Bruno temos estudado esta questão do reaproveitamento por uma série de motivos. Porque é bom para a natureza, porque você economiza, consegue um custo melhor para o produto que você está vendendo e porque gera também menos volume de lixo”.



Fonte: http://jornal.ofluminense.com.br