Festival de irregularidades em SG

sg1_0-165010
Festival de irregularidades em SG

Na Rua Abílio José de Matos, no Porto da Pedra, a placa apagada e a falta de pintura nas lombadas já gerou acidentes

Motoristas enfrentam uma chuva de irregularidades em São Gonçalo. Em desacordo com o Código de Trânsito Brasileiro (CTB), quebra-molas sem sinalização e fora do padrão estabelecido pela legislação geram prejuízos e causam acidentes na cidade. Muitos redutores ainda estão instalados em ruas onde passam ônibus, o que não é permitido pela legislação.

Dirigindo pelas principais vias da cidade, motoristas facilmente encontram os redutores de velocidade logo abaixo de semáforos. Essa é a situação de vários trechos da Avenida Jornalista Roberto Marinho, no Galo Branco, por exemplo.

“Nunca vi colocar quebra-molas embaixo do sinal. Isso só existe em São Gonçalo. Não tem necessidade de colocar dois redutores de velocidade num ponto só”, reclamou o motorista Carlos José de Almeida, ao passar pela avenida, na altura da Travessa Cléia.

E não é só isso. A falta de sinalização das lombadas prejudica a visibilidade, principalmente durante a noite. Muitas delas não recebem pintura e nem placas indicativas. Na Rua Abílio José de Matos, no bairro Porto da Pedra, a placa apagada e a falta de pintura nas lombadas já gerou acidentes. Um deles, segundo moradores da região, aconteceu na última terça-feira, por volta das 20h.  

“O cara passou de moto e não viu o quebra-molas, passou com tudo e bateu na traseira do carro. Tivemos até que chamar a ambulância”, disse um morador, que não quis se identificar.  

A falta de pintura e placas ainda esbarra em outra irregularidade. Segundo o CTB, os quebra-molas não devem ser instalados em vias onde circulam linhas regulares de ônibus, o que não acontece em São Gonçalo, dificultando ainda mais o trajeto.  

No bairro da Amendoeira, os próprios moradores decidiram fazer uma lombada na Rua Joaquim Laranjeiras, em frente à uma escola. No entanto, a poucos metros há um semáforo. O quebra-molas improvisado ainda obriga motoristas a passar ainda mais devagar na via, já que seu tamanho está totalmente fora dos padrões exigidos por lei.  

“É muito desnivelado, então tem que passar bem devagar. Era ainda pior, até que melhorou. Tem uns que a gente passa que tem vergalhões para fora, causando risco de furar o pneu”, reclamou o autônomo Leandro Farias.  

O Código de Trânsito determina que os quebra-molas são divididos em dois tipos. Um deles deve ter comprimento de 1,50m e altura de, no máximo, 8 centímetros, ou 3,70 metros de comprimento e até 10 centímetros de altura. 

Questionada sobre as irregularidades e manutenção da sinalização de trânsito na cidade, bem como a fiscalização, a Prefeitura de São Gonçalo não se pronunciou.   

Fonte: http://www.ofluminense.com.br