Fluminense bate Libertad do Paraguai por 3 a 1 e conquista boa vantagem

Fluminense bate Libertad do Paraguai por 3 a 1 e conquista boa vantagem

Conca e Fred comemoram gol do Fluminense em cima do Libertad. Foto: Alcyr Ramos

Tricolor carioca larga na frente, empata no início do segundo tempo, mas acorda e vence a equipe adversária no estádio do Engenhão. Falta de energia não atrapalhou o espetáculo

Mais um capítulo no enredo do Time de Guerreiros foi escrito na noite desta quinta-feira no Engenhão e sob olhares de Mano Menezes, técnico da Seleção Brasileira. Em confronto válido pela partida de ida das oitavas-de-final da Taça Libertadores da América, o Fluminense enfrentou o perigoso Libertad-PAR e conseguiu uma suada vitória por 3 a 1 em uma partida com altas doses de emoção. Os gols da partida foram marcados por Rafael Moura, Marquinhos e Conca, pelo lado tricolor, e Gamarra para os adversários.

A exemplo do Fla-Flu da semifinal da Taça Rio, disputado no último domingo, o Engenhão voltou a apresentar falhas em seu sistema de energia. Os refletores que garantem a iluminação do local se apagaram e a comissão de arbitragem decidiu adiar o início do jogo por tempo indeterminado.

A partida só começou com uma hora e cinco minutos de atraso de sua previsão inicial, mas apesar do longo tempo de espera a equipe das Laranjeiras e os torcedores não esfriaram. O Flu tomou a iniciativa e embalado pela torcida chegou ao gol logo aos quatro minutos de jogo. Edinho desviou bola cruzada na área e Rafael Moura desviou entre o travessão para vencer o goleiro Vargas.

Nos acréscimos do primeiro tempo Mariano levantou a bola na área adversária, Rafael Moura centrou, mas Fred, de primeira, desperdiçou chance clara de ampliar a vantagem de sua equipe.

O jogo- Nos primeiros minutos da etapa final o Flu demonstrou uma postura mais defensiva, mas o Libertad voltou melhor e pressionando os donos da casa em seu próprio campo. A insistência paraguaia foi recompensada aos 16, quando o volante Gamarra subiu alto na área, disputou com Berna um cruzamento pela direita e conseguiu vencer o arqueiro tricolor, igualando o marcador no Engenhão.

A reação do Fluminense ao gol adversário foi imediata e a esperança em mais um gol para a torcida era gritada no nome de Araújo, mas foi com Marquinho que a reação começou a tomar forma. O meia fez ótima jogada pelo meio, se livrou de dois marcadores, experimentou de longe e conseguiu desempatar o jogo.

Dois minutos depois Conca levou a torcida à loucura marcando o terceiro ao cobrar com categoria uma falta da entrada da área paraguaia.
Os momentos que sucederam os gols que garantiram a vitória tricolor foram de pressão paraguaia em busca de um gol para diminuir o placar negativo, porém o Flu demonstrou calma e eficiência para neutralizar as jogadas dos visitantes.

Fluminense: Ricardo Berna; Mariano, Gum, Edinho e Julio Cesar (Fernando Bob) (Araújo); Valencia, Diguinho, Marquinho e Darío Conca; Fred e Rafael Moura (Diogo). Técnico: Enderson Moreira. Libertad: Vargas; Bonet, Portocarrero, Canuto e Samudio; Cáceres, Gamarra, Rojas (Moreira) e Ayala; Núñez (Maciel) e Pavlovich (Oruê). Técnico: Gregorio Pérez. Árbitro: Sergio Pezzotta (Argentina). Cartões Amarelos: Júlio César, Conca, Cáceres, Ayala e Gamarra

 

 

Fonte: http://jornal.ofluminense.com.br