Foco na Copa do Brasil após tropeço

vasco_47-163211
Foco na Copa do Brasil após tropeço

O meio-campo Guilherme acredita que o Vasco tem condições de vencer a partida no Barradão. Cruz-Maltino precisa de gols

Após o empate com o Macaé por 2 a 2 na estreia da Taça Rio, o time vascaíno voltou ao trabalho na segunda-feira (13), em São Januário. O técnico Cristóvão Borges comandou um coletivo bastante agitado entre os jogadores que não atuaram durante os 90 minutos na última partida com os juniores. 

Os titulares realizaram um treino regenerativo. Em entrevista após o treinamento desta tarde, o meia Guilherme conversou com os jornalistas e falou sobre a sua relação com o treinador. 

“Cada oportunidade que tenho, eu preciso agarrar da melhor maneira possível. Sou muito grato ao Cristóvão, pois foi ele que me viu e me deu essa chance que estava esperando há algum tempo. Começando como titular ou entrando no jogo, preciso fazer da melhor maneira. Busco sempre fazer tudo pelo Vasco”, afirma.

O jogador afirmou que continuará buscando o seu espaço na equipe e também  projetou o confronto contra o Vitória. Para se classificar, o Cruz-Maltino precisa vencer ou empatar por mais de dois gol.

“Não posso me acomodar com o banco. Tenho que buscar meu espaço e procurar ajudar o Vasco. Acho que a gente cria muito e não consegue concluir em gol e acaba ficando complicado por isso. Não creio que o Vitória venha fechado. Temos condições de sair com a classificação no Barradão – analisa.

O Vasco enfrentará o Vitória, nesta quinta-feira (16), às 19h30, no Barradão. O time vascaíno volta ao trabalho na tarde de hoje, na Colina Histórica.

Pressão – O clima de pressão no Vasco aumentou após mais um tropeço, desta vez diante do Macaé, na estreia da Taça Rio. Nem mesmo a estreia do atacante Luís Fabiano foi capaz de mudar o panorama da equipe cruz-maltina. O técnico Cristóvão Borges, muito criticado pela torcida, falou sobre o atual momento na temporada.

“Eu procuro focar no meu trabalho, no que é preciso, que é muita coisa. Não é um trabalho fácil. Lógico que isso não é uma coisa agradável, não é assim que eu desejaria que tivesse acontecido, mas não é do meu controle. Tenho que trabalhar, fazer com que a equipe jogue melhor”, disse. 

Fonte: http://www.ofluminense.com.br