Maria Paula compõe primeiro papel em novela com a Psicologia

Atriz vive uma personagem sem exageros na TV. Foto: Divulgação / Carta Z Notícias / Luiza Dantas
Maria Paula compõe primeiro papel em novela com a Psicologia

Depois de 17 anos na veia cômica, com a turma do Casseta & Planeta, Urgente!, Maria Paula vive uma personagem completamente diferente em Malhação

Foram 17 anos da vida de Maria Paula fazendo muitas caras e bocas na TV, enquanto esteve no ar com a trupe do Casseta & Planeta, Urgente!. Aos 41 anos, percebeu a necessidade de um trabalho diferente. “Não sentia mais aquele frio na barriga. Agora vivo uma novidade na minha carreira. Trabalhar com adolescente me agrada muito”, entrega. Bárbara, a sua personagem em Malhação, passa longe da veia cômica, a qual a atriz estava acostumada. É o aposto. Na trama, a ex-mulher de Mario, de Eduardo Galvão, flerta com a vilania. Mas Maria Paula agarra-se à personalidade da arquiteta para defendê-la. “Não senti que ela é uma vilã. O fato é que ela não dá mole. É mulher de temperamento forte”, avalia. Para compor o seu primeiro papel na teledramaturgia, Maria Paula usufruiu das outras profissões que possui – psicóloga e escritora. “Gosto de tudo que envolve o ser humano. Seja trabalhando com eles, ou escrevendo sobre. Esse é o elo que me ajuda na composição dos meus personagens”, filosofa.

Além do entusiasmo com o seu novo momento profissional, Maria Paula não esconde a alegria com o papel que recebeu. “Sou super família, assim como a minha personagem”, comemora. Na novela “teen”, Bárbara é uma mãe extremamente cuidadosa, como a ex-casseta também afirma ser. “Foco muito nos meus filhos. Sei que a estrutura da casa funciona comigo. É isso que me deixa completamente tranquila para desligar de tudo e focar nas gravações”, garante. Embora a carreira de atriz esteja ainda nos primeiros passos, Maria Paula já demonstrava interesse neste caminho desde os tempos de “Casseta”. A brasiliense não apenas comandava a apresentação do humorístico. Ela estava também à frente de algumas esquetes, entre as quais ela destaca a sua preferida – Imitar atores brasileiros. “Era o que eu mais gostava de fazer. Eu prestava atenção nos mínimos detalhes das pessoas, como o jeito de mexer a boca, o tom de voz. Na hora de fazer, exagerava e dava aquele resultado que agradava ao público e também às atrizes”, acredita.

Desde que deixou de fazer parte do elenco do programa, a atriz dedicou-se a outros projetos. No tempo em que ficou fora do ar, viajou para Nova Iorque para gravar parte das cenas da comédia De Pernas para o Ar 2, e fez o lançamento de seu livro Liberdade Crônica. Na ocasião, ela foi prestigiada com a presença de todos os cassetas. “Era um dia importante para mim e eles estavam lá. Construímos uma relação de amorosidade ao longo dos anos, que dura até hoje”, encanta-se. Ao citar os amigos com tanto carinho, é impossível para Maria Paula não se emocionar ao falar de Cláudio Besserman Viana, o eterno Bussunda. “O que mais marcou a minha vida nesses anos todos foi a minha relação com ele, que era sempre presente. Na primeira gravidez, ele chegou até antes do meu pai”, lembra, com alegria. Dois anos depois, veio o segundo filho e um presente de valor imensurável. “O Felipe nasceu no dia do aniversário do Bussunda”.

Outros formatos
Quando foi escalada para apresentar o programa onde permaneceu por 17 anos, Maria Paula já tinha certa familiaridade com as câmaras. Aos 19 anos, foi aprovada no teste para VJ da MTV, que logo a contratou. Com estilo desembaraçado de apresentar os vídeo-clips, chamou atenção e, aos 23 anos, assumiu a apresentação do game-show Radical Chic, da Globo. Pouco tempo depois, foi escalada para a apresentação do humorístico. “Eu vim da apresentação. O meu contato com a dramaturgia foi uma consequência”, relata. Foi, então, onde ela se descobriu. “Foram quase duas décadas em que pude expandir meu talento, a capacidade de me expressar e de me comunicar com o público”, completa. Desde que iniciou a carreira, Maria Paula tem se dedicado não só à TV, mas também ao teatro e ao cinema. Nas telonas, atuou em Casseta & Planeta – Seus Problemas Acabaram, A Taça do Mundo É Nossa, V.I.P, De Pernas para o Ar.

Instantâneas
Além da Psicologia, Maria Paula é formada também em Medicina Chinesa.

A atriz participou do processo que aumentou a licença maternidade de 4 para 6 meses. Neste ano, participou da “Campanha de Adoção de Leite Humano”.

Ela participa também de uma campanha de amamentação nas empresas, que prevê a implantação de salas destinadas à amamentação.

No teatro, fez Omelete, de Hamilton Vaz Pereira, Decameron, sobre o livro de Bocaccio e direção de Otavio Muller, e As desgraças de uma criança, de Martins Pena.

O Fluminense

Fonte: http://jornal.ofluminense.com.br