Olhar atento

moises-karran-foto-de-gabriel-henrique-164815-164815
Olhar atento

Moisés Karran é o nome à frente da School Models, empreendimento responsável pela formação e lançamento de modelos

Com 57 anos e mais de 30 de carreira, Moisés Karran é o nome à frente da School Models. O empreendimento é responsável pela formação e lançamento de centenas de modelos que seguem inclusive carreiras internacionais.

Natural do Rio de Janeiro, Karran é morador de Niterói – onde vive com a família –, cidade para a qual faz juras de amor por considerar o município um celeiro de talentos em todos os segmentos

Como você começou a trabalhar com modelos?

Trabalhava como modelo na década de 80 e fui convidado para dar aula num curso de modelos em Niterói. Um tempo depois, comecei a ministrar curso por conta própria e formei minha primeira turma, em 1985.
 Como funciona a função de “olheiro”? 

O scouter (olheiro) busca new faces com potencial para se tornarem modelos. Tem que estar atento aos perfis que o mercado e as agências parceiras precisam para o momento. Eu ainda vou além, preparo tecnicamente o new face para que ele ou ela já chegue na agência pronto e apto para começar a trabalhar.

Muitas candidatas a modelo contam com pouquíssimos recursos financeiros para investir na carreira. Isso pode ser uma dificuldade?

Existe um investimento inicial para se tornar modelo. É preciso investir em curso, book, composite e documentação específica da categoria (DRT). Muitas vezes, é necessário também custear academia e ainda fazer acompanhamento de profissionais como dermatologista, nutricionista e dentista. Pode acontecer da agência ajudar o modelo que não tem condições de custear esses elementos necessárias à carreira, mas é raro acontecer.
 Certa vez, enquanto dirigia, você se perdeu e foi parar dentro de uma comunidade do Rio. Nesta ocasião, descobriu duas modelos. Conte como foi. 

Na verdade, fui convidado pra ser jurado de um concurso de modelos em uma comunidade do Rio. No caminho, meu carro foi cercado por dezenas de bandidos armados. Por sorte, tinha um morador na carona que conversou com os bandidos, em seguida, nos liberaram para fazer o percurso. Foi um sufoco, mas valeu a pena. Encontrei duas meninas lindas e com imenso potencial para serem modelos.
 Existe algum perfil desejado para o mercado?

O mercado hoje é bem versátil. Busca modelos fashion (meninas de 1.75 a 1.80 de altura e, no máximo, 89cm de quadril e homens de 1.84 a 1.90 de altura e manequim 3840), comercial (não tem tanta restrição de medidas e idade), curvy (mulheres com manequim do 38 a 42), plus size (manequim 44 em diante).
 Ser capa de revista muda a vida da modelo? 

Ser capa das melhores revistas de moda (Vogue, Elle, Harper’s Bazaar e L’Officiel) do País pode ajudar a modelo a ganhar reconhecimento de mercado, o que, com certeza, trará outros bons trabalhos para o profissional em questão. Não muda a vida em si, mas ajuda a alavancar a carreira, juntamente com o trabalho feito pelo profissional no dia a dia.
 Qual a importância dos responsáveis na carreira das meninas?

É a base, principalmente porque a maioria das modelos começa a carreira durante a adolescência.
 Conte um pouco da história da Samya Freitas, descoberta por você.

A Samya chegou na minha escola com 14 anos, como indicação da modelo e ex-aluna Larissa Tatagiba. Larissa dava aula em uma ONG em uma comunidade, viu a Samya e percebeu que ela tinha potencial para se tornar uma modelo. Ela nos indicou para dar todo preparo e orientação de mercado que a Samya precisava. Após o processo de lapidação profissional, que durou um ano, preparamos o material fotográfico dela em parceria com o fotografo Will Araújo, que se mostrou muito dedicado em ajudá-la. Em seguida, a apresentei às principais agências de modelos em SP. Samya foi aprovada em quase todas as agências e escolheu a que mais gostou. Pouco tempo depois, estava estreando em editoriais e na SPFW e logo iniciou sua primeira temporada internacional com apenas 16 anos.
 No mundo da moda existem muitas “empresas/profissionais” que prometem de tudo para as modelos. Quais os cuidados que os responsáveis devem tomar?

Nunca aceitar convites feitos através de redes sociais. Dificilmente uma grande agência procura e aborda pessoas através desses meios. Pesquise muito antes de visitar uma agência, pesquise seu histórico para saber se trabalham com honestidade e transparência. Desconfie quando há muitas promessas, pois as coisas não são tão fáceis como parece. Existe um golpe muito praticado por agências picaretas: ao receberem o candidato a modelo, diz que tem um trabalho com um excelente cachê para seu perfil, mas precisa de foto urgentemente para o cliente. Na confiança de que fará o trabalho, a pessoa paga (alguns pegam até empréstimos) para fazer o book às pressas e o trabalho não acontece, porque, na verdade, ele nunca existiu. Há muitas agências desse tipo, que vivem de venda de book da pior qualidade.
 Como funciona o mercado para os modelos? O mercado masculino tem sua lógica própria?

O mercado feminino é muito mais amplo e lucrativo. O masculino vem ganhando força, pois o público em questão vem se tornando mais exigente.
 Como a diversidade de gênero tem se apresentado nas passarelas? A moda e a arte conseguem quebrar muitos paradigmas. O que aconteceu de mais significativo nos últimos tempos? 

O mercado da moda vem mudando bastante. Hoje existe uma agência voltada para pessoas cheias de estilo e influenciadores digitais, a moda tem valorizado muito a personalidade e individualidade, isso vem quebrando paradigmas, vem trazendo uma diversidade que nunca foi vista antes. O padrão europeu ainda permanece, mas muitas marcas têm percebido que um modelo “fora dos padrões” estéticos tradicionais vende muito bem um produto. Nas duas últimas temporadas da SPFW, vimos nas passarelas um número bem maior de negros, modelos plus size, modelos mais velhos e modelos trans, que, por sinal, têm sido muito requisitadas pelos estilistas. Exemplo disso é a Valenina Sampaio, que, além dos desfiles, tem assinado grandes campanhas e capas internacionais.

O olheiro descansa em algum momento do dia ou tem que estar sempre ligado?

Fico sempre ligado, a qualquer hora e em qualquer lugar posso encontrar alguém com um futuro promissor na moda. 

Fonte: http://www.ofluminense.com.br