Petrobras investiga denúncia de combustível adulterado em Niterói e SG

Petrobras investiga denúncia de combustível adulterado em Niterói e SG

A Petrobras Distribuidora emitiu um comunicado neste sábado (15) descartando, até o momento, combustíveis adulterados em postos de Niterói e São Gonçalo que funcionam sob a certificação da companhia. O posicionamento foi feito a partir de uma série de denúncias sobre combustíveis adulterados sendo comercializados em postos de Niterói e que motivaram nesta semana fiscalizações da Agência Nacional de Petróleo (ANP), do Ministério Público (MP) e do Procon. 

De acordo com a subsidiária, uma série de denúncias surgidas nas redes sociais sobre suspeita de combustível adulterado em Niterói, São Gonçalo e leste metropolitano do RJ, motivou uma força-tarefa neste sábado de equipes do programa “De Olho no Combustível” para visitar todos os postos certificados da região. Após coleta e análise de combustíveis, a empresa informou que todas as amostras coletadas estão de acordo com as especificações da ANP. 

“A Petrobras Distribuidora adota as melhores práticas comerciais, concorrenciais e éticas na relação com o consumidor e exige a mesma postura dos revendedores com sua bandeira. Uma vez caracterizada uma conduta imprópria de algum posto de nossa rede, a companhia aplicará as sanções previstas em contrato, que podem levar à rescisão do mesmo”, informou a empresa em nota oficial. 

Neste sábado, a Ipiranga Distribuidora divulgou em redes sociais um comunicado ao público informando que um dos alvos de reclamações recebidas, o Posto DRL, na Avenida Central, em Itaipu, que carrega sua bandeira, já foi notificado e que o proprietário, inclusive, já impediu a equipe técnica da Ipiranga de realizar testes de qualidade no estabelecimento. O DRL é citado em um dos áudios divulgados na internet. 

Em nota enviada à redação, a Ipiranga informou que vem tomando todas as medidas cabíveis no sentido de retirar a bandeira Ipiranga que o mesmo ostenta.  

“É necessário o cumprimento de algumas etapas legais até que a Ipiranga consiga obter decisão judicial que permita a rescisão de contrato e retirada de bandeira desse revendedor. A notificação é uma fase inicial necessária para que a Ipiranga consiga legalmente retirar a sua imagem e rescindir o contrato existente com esse revendedor. A Ipiranga reitera que está tomando essas providências, pois trata-se de um caso de inconsistência com os padrões da rede, o que não é aceitável pela empresa”. 

 A empresa reforçou que os combustíveis fornecidos à sua rede de postos estão dentro das especificações da ANP, descartando a possibilidade da gasolina já chegar adulterada nos postos. 

Fonte: http://www.ofluminense.com.br