Por um país que valorize a educação

Por um país que valorize a educação

O governo federal anunciou ontem a liberação de R$ 406 milhões para o Programa de Fomento às Escolas de Ensino Médio em Tempo Integral. Do total liberado, cerca de R$ 173 milhões serão destinados para investimentos e R$ 233 milhões para custeio. 

De acordo com o Ministério da Educação, a liberação vai ampliar de 516 para 967 o número de escolas financiadas, o que representa um aumento de 87% de escolas atendidas em todo o país. Em 2017 foram apoiadas pelo programa 516 escolas com 148.760 matrículas. Para este ano, serão 967 escolas, com 284.728 matrículas. 

A meta do programa, que pode ser considerada ambiciosa, é alcançar a marca de 500 mil matrículas. Isso porque o programa depende das secretarias estaduais de Educação, que precisam apresentar um plano de implementação que vai de número mínimo de matrículas a uma série de exigências de infraestrutura. 

A iniciativa de ampliar a oferta de ensino médio em tempo integral deve ser encarada com otimismo, no sentido de que a educação sempre foi e sempre será o melhor caminho para que um país possa contar com cidadãos conscientes e em melhores condições de ingresso no mercado de trabalho e formação profissional tanto na área técnica quanto em pesquisa e desenvolvimento. Mas, antes de tudo, é fundamental que as 27 unidades da federação atentem para a importância de tal projeto e priorizem as ações no sentido de cumprir as exigências e garantir a adesão, utilizando os recursos de forma séria e responsável. 

Fonte: http://www.ofluminense.com.br