Portas fechadas para a cultura

teatro-sg-164739
Portas fechadas para a cultura

O Teatro Municipal, que custou R$ 14 milhões aos cofres públicos, não foi aberto ao público

Cidade carente de equipamentos culturais, São Gonçalo está com três importantes unidades de ensino e apresentação de artes fechadas: a Escola de Música Pixinguinha, a Escola Municipal de Dança Claudio Rodrigues e o recém-inaugurado Teatro Municipal. Dos três locais, o único com perspectivas concretas de retomar as atividades é a escola de dança, que, segundo a Secretaria Municipal de Cultura e Turismo, volta a funcionar ainda esse ano. 

A Escola de Música Pixinguinha, no Barro Vermelho, que por 16 anos ofereceu aulas de diversos instrumentos musicais, como violão, violino, bateria, está de portas fechadas desde outubro de 2016, quando a Fundação de Arte de São Gonçalo (Fasg) comunicou aos funcionários o encerramento das atividades em uma das únicas instituições de São Gonçalo que oferecem ensino musical gratuito na cidade. Na época, a unidade atendia mais de 300 alunos, e o triplo de pessoas ainda aguardava por uma vaga em uma lista de espera. 

O encerramento das atividades aconteceu por consequência dos mil cortes de cargos comissionados, entre os 2,5 mil existentes, sob a alegação de cumprimento da Lei de Responsabilidade Fiscal. O fechamento da escola afetou alunos como a neta da aposentada Ana Maria Mendonça, de 75 anos, que tem 12 anos e tinha aulas de teclado na escola. Depois do fechamento, o avanço no aprendizado parou. 

“É uma tristeza. Meu cunhado chegou a comprar um teclado para a minha neta; agora está lá parado. Muita gente frequentava a escola, crianças, idosos. Faz muita falta”, lamentou. 

Inaugurada em junho do ano passado, a Escola Municipal de Dança Claudio Rodrigues de Mattos, no Portão do Rosa, funcionou por menos de um ano. Segundo relatos de ex-alunos, a instituição fechou as portas no começo de 2017, deixando vários “órfãos” das aulas de ballet clássico, jazz, zumba, sapateado e dança contemporânea. Para a técnica em enfermagem Daniele Vieira, de 37 anos, frequentar a instituição era programa de mãe e filha. 

“Eu fazia aula de zumba, minha filha, de balé. Acabou de forma muito brusca, fomos avisados de uma hora para outra. Minha filha chegou a chorar, ficou bem chateada porque ela gostava muito. Eu não tenho condições de pagar pela aula”, comentou. 

De acordo com a Secretaria Municipal de Cultura e Turismo, uma visita técnica foi feita à Escola de Música nesta semana para avaliar as condições da unidade. A secretaria está realizando estudos e buscando parcerias para a reativação do espaço.

O Teatro George Savalla Gomes – Palhaço Carequinha – o primeiro teatro municipal de São Gonçalo, no Centro, custou aos cofres da cidade cerca de R$ 14 milhões. Inaugurado em dezembro do ano passado, ainda não abriu as portas para a cultura gonçalense. Sem instalações elétricas concluídas, o imóvel tem uma dívida que impede seu funcionamento. Em janeiro deste ano, o Teatro chegou a ter uma placa de identificação furtada. 

Através de nota, a Prefeitura de São Gonçalo informou que “o município está priorizando o pagamento de salários atrasados, impossibilitando o repasse da verba. O espaço permanece fechado sob responsabilidade da construtora, que também faz a vigilância do local”. 

O Executivo informou ainda que está realizando planejamento estratégico para obtenção de recursos junto ao Ministério da Cultura. 

Fonte: http://www.ofluminense.com.br