São Francisco terá praça revitalizada no mês que vem

Reforma na Praça Dom Orione prevê mudanças no paisagismo e mais opções de lazer para os moradores do bairro.Arte: Divulgação/ Prefeitura de Niterói
São Francisco terá praça revitalizada no mês que vem

Reforma da Praça Dom Orione, ao lado da Igreja de São Francisco, dará opção de lazer para moradores do bairro da Zona Sul de Niterói. Local receberá a instalação de brinquedos novos

A Prefeitura de Niterói vai iniciar, em junho, a reforma da Praça Dom Orione, ao lado da Igreja de São Francisco, entre a Avenida Taubaté e Rua General Rondon, em São Francisco.

O projeto de reforma elaborado pela Secretaria Municipal de Urbanismo levou em conta o fluxo de usuários, a acessibilidade e os diferentes usos em horários diversos. Na parte da manhã, o espaço é utilizado por jovens para a prática de esportes e também é grande a frequência de crianças.

De acordo com a prefeitura, a Praça Dom Orione vai ganhar brinquedos infantis, que serão instalados respeitando o direcionamento do sol da manhã (insolação) sob a área descoberta. O paisagismo existente (árvores e gramado) será complementado e adaptado às novas condições de uso. 

A praça é frequentada, principalmente, por pais com seus filhos (bebês e crianças) e também por jovens e adultos que ali praticam o tai chi chuan. Segundo o secretário regional de São Francisco, Flávio Gomes Pereira, a reforma da praça objetiva melhor utilização do espaço em função do aumento de usuários e melhoria da ambiência urbana local. “Com a reforma a praça será mais bem utilizada, já que o número de moradores cresceu bastante. Buscamos dar mais opções de lazer para que os moradores não tenham que se deslocar para outros lugares. A nova praça vai revitalizar a localidade”, afirmou. 

O professor Anselmo Duarte, de 43 anos, que mora na rua da praça, comemorou a reforma do espaço. Segundo ele há alguns anos os moradores não podiam frequentá-la. “Há muito tempo essa praça serve como moradia de moradores de rua. Ali é um lugar que as mães gostariam de levar as crianças para brincar e não podiam”, disse.



Fonte: http://jornal.ofluminense.com.br